DISCOGRAFIA COMENTADA – "O gaúcho coração do Rio Grande" (1961)

Seria uma lástima iniciar a série Discografia comentada sem o célebre LP “O gaúcho coração do Rio Grande”, gravado por Teixeirinha na gravadora paulista Chantecler em 1961. Trata-se de um disco único, uma verdadeira obra-prima de Vitor Mateus Teixeira, lançada no embalo de seus primeiros sucessos. A história desta gravação não podia passar em branco!
Como já sabemos, Teixeirinha surgiu para o mercado fonográfico em 1959, quando realizou suas primeiras gravações em São Paulo. Ele gravou mais de uma dezena de músicas nos dois primeiros anos de carreira no disco, mas foi só a partir de julho de 1960 que explodiu nas paradas com o sucesso “Coração de Luto”. A Chantecler era uma gravadora jovem e de estrutura pequena. A maior parte de seus artistas lançava compactos (78rpm), discos de fácil produção e comercialização. Teixeirinha não fugira a esta regra, mas seu surpreendente número de vendas em todo o Brasil estimulou os executivos da gravadora a lançá-lo também em long playing.
Em 1961 chegava às lojas “O gaúcho coração do Rio Grande”, primeiro LP de Teixeirinha. O disco não teve produção muito elaborada: a foto da capa é da mesma série de imagens que ilustravam as capas dos primeiros compactos; e as músicas também foram colhidas de gravações já realizadas tanto que, provavelmente, nenhuma era inédita quando o LP foi lançado. Mesmo assim, o disco tem características peculiares. Uma das mais importantes: é, certamente, o LP mais “gaúcho” de Teixeirinha, tendo em vista que trouxe ritmos e instrumentalização tipicamente sulinas.
“O gaúcho coração do Rio Grande” está composto por 12 faixas, 6 de cada lado. No Lado A, estão as músicas de menor expressão, com exceção de “Briga no casamento” e “Não e não”. Estas duas canções, aliás, são simplesmente incríveis: na primeira (um xote), Teixeirinha expõe com extremo humor as peripécias do “comedor de batom”, o cantor galante que chega nas festas e conquista todas as mulheres com seu charme e talento musical. Na outra composição (uma rancheira) é a vez de Teixeirinha pedir beijos para Mariazinha (interpretada por uma cantora de sotaque carioca desconhecida), naquela que, quiçá, tenha sido a música mais voltada para as crianças em toda sua carreira.
As outras quatro composições do Lado A são bastante significativas. “Vou embora” (xote) e “Ébrio de amor” (valsa) seguem a linha romântica, falando das decepções e do coração de quem ama. “Amor de mãe” (valsa) retoma a linha do amor materno, tão comum na obra do artista. Por fim, “Ida e volta” (rasqueado) é mais uma pérola do cancioneiro de Teixeirinha, no qual o cantor expõe as belezas das terras percorridas em sua primeira turnê como cantor pelas regiões Sul e Sudeste do Brasil.
No Lado B de “O gaúcho coração do Rio Grande” é que estão as maiores preciosidades deste disco. A primeira música já dispensa comentários e aparece como o carro-chefe deste LP: “Coração de Luto” (toada-milonga). Depois, canções pra lá de variadas: “Gaúcho no churrasco” (xote), “Cinzeiro amigo” (canção), “Gaúcho de Passo Fundo” (xote), “Tiro de laço” (rancheira) e “Xote Soledade” (xote). Destas, merecem destaque as duas últimas. A rancheira “Tiro de laço”, além de significativa por abordar novamente o gaúcho “rouba-prenda” é também a música de Teixeirinha preferida do tradicionalista Paixão Cortes. Já “Xote Soledade” é mais uma das tantas composições feitas pelo cantor em homenagem a uma cidade que lhe marcou.
O LP “O gaúcho coração do Rio Grande” é marcado por ritmos marcadamente regionais. Nas gravações foram utilizados alguns dos instrumentos mais significativos da música gaúcha mesclados com percussão: gaita, violão, guitarra, pandeiro, flauta e triângulo. As temáticas das músicas são variadas, mas todas giram em torno das figuras do Rio Grande do Sul (a saber, o gaúcho, a prenda…). Teixeirinha também está inspirado em suas interpretações: sua voz ainda era aguda, no mais alto estilo “timbre de sino” que lhe caracterizou nestes primeiros anos. Porém, o ouvinte mais atento, notará que as composições não obedecem a um padrão de gravação (umas tem chiado, outras não), o que se explica pelo fato de que os fonogramas foram extraídos de diferentes discos, gravados em momentos distintos.
Num comentário geral, não pode passar em branco também a apresentação de Dimas Costa na contracapa do LP. Num texto dividido em três colunas, o tradicionalista fala da gênese do Movimento Tradicionalista gaúcho e de sua difusão pelo país através de Teixeirinha. Dimas fala, depois, da história de Vitor Mateus Teixeira, a quem se refere como “intérprete autêntico dos cantores regionalistas crioulos”. Mas, um fato curioso: na hora de biografar Teixeirinha, Dimas Costa cometeu um erro, afirmando que o cantor nasceu em Porto Alegre. Apesar da gafe, o tradicionalista escreve um parágrafo historicamente importante sobre o primeiro LP do “Rei do Disco”: “a CHANTECLER sentiu a necessidade de reunir o primeiro punhado de composições do ‘GAÚCHO CORAÇÃO DO RIO GRANDE’, neste LP, a fim de dar atendimentos ao avultado número de pedidos, que lhe chegam constantemente, de parte desse público patrício e justo que começa a dar a merecida preferência a nossa música original brasileira.”
Enfim, falado um pouco deste disco, só me resta aconselhar a todos para que ouçam esta preciosidade. Graças à tecnologia, este LP já está disponível no formato digital desde 2004. Porém o disco está esgotado há um ano e apenas com muita sorte se encontrará em alguma loja específica. Para finalizar, segue a ficha técnica completa do disco, suas músicas e informações mais relevantes.

ÁLBUM: “O gaúcho coração do Rio Grande”
ANO DE LANÇAMENTO: 1961
GRAVADORA: Alvorada / Chantecler
DIREÇÃO: Diogo Muleiro (Palmeira)
NÚMERO DO DISCO: CMG 010 (PTJ 3010)

LADO A

01. Vou embora (Teixeirinha)
02. Briga no casamento (Teixeirinha)
03. Amor de mãe (Teixeirinha)
04. Ida e volta (Teixeirinha)
05. Ébrio de amor (Teixeirinha)
06. Não e não (Teixeirinha)

LADO B

01. Coração de luto (Teixeirinha)
02. Gaúcho no churrasco (Teixeirinha)
03. Cinzeiro amigo (Teixeirinha)
04. Gaúcho de Passo Fundo (Teixeirinha)
05. Tiro de laço (Teixeirinha)
06. Xote Soledade (Teixeirinha)

REEDIÇÕES: 1972 (LP); 1972 (K7); 1992 (LP); 2004 (CD);

3 respostas para DISCOGRAFIA COMENTADA – "O gaúcho coração do Rio Grande" (1961)

  1. Rozélia Baptista disse:

    ADORO ESTE ÁLBUM! TENHO O LP E O CD! TODAS AS MÚSICAS DELE SÃO UM VERDADEIRO SUCESSO! BEIJOS!

  2. Anna Almeida Nanni disse:

    Na minha opinião, acho que o álbum “O Gaúcho Coração do Rio Grande” é o melhor álbum de Teixeirinha. Eu adoro!

  3. Tadeu disse:

    Roni Tadeu Q. de Oliveira:
    Janeiro de 2013
    tenho esse e mais 47 discos completos
    É a história do Rio Grande contada em versos
    É um orgulho pra nós gaúchos, Íconi do Rio Grande
    O melhor!!! sem sombra de duvida .

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: