MUNDO TEIXEIRINHA – Edição 18

Carnaval… tamborins esquentados! E o “Mundo Teixeirinha” chega com sua 18ª edição, trazendo tudo o que foi destaque na semana. Aproveitem!

Lista de pautas

Com o início do mês de fevereiro, cumpro o novo ritual instaurado aqui no blog: a lista de pautas. Confira o que será assunto nas próximas semanas por aqui:

01/02: “A saudade que ficou”
08/02: “DISCOMENTANDO: Teixerinha Show”
15/02: “A grande noite da viola”
22/02: “Apaixonado por carro…”
29/02: [postagem especial comemorativa de 1 ano do blog] NOVIDADE!

E não se esqueçam: todas as pautas sugeridas serão atendidas!

Errata

A Nicole Reis já havia me alertado e o amigo Gabriel Lopes Pereira chegou a postar a informação por aqui. Mesmo assim, não custa lembrar: errei! O filme “A quadrilha do Perna Dura” não foi rodado em Osório, conforme publiquei semana passada. “A quadrilha…” foi filmado em São Francisco de Paula. O longa-metragem gravado em Osório foi o “Tropeiro Velho”.

Dúvida?

Enquanto os amigos do blog tentavam encontrar o município de Osório no filme “A quadrilha do Perna Dura” (o que não foi possível pois, como já vimos, Osório só aparece em “Tropeiro Velho”), o Nilton José Tavares teve uma dúvida: ele pergunta se em “Tropeiro Velho” o menino que interpreta o filho de Mary e Teixeirinha é o pequeno Teixeirinha Neto. Na realidade, Neto ainda não era nascido em 1979 e o personagem é interpretado por Alexandre Teixeira – filho legítimo da dupla.

“Conversa fiada”

O assunto deu muito pano pra manga aqui no blog. Afinal, a quem foi dirigida a música “Conversa Fiada”, gravada por José Mendes? Pelas informações que coletei, e pelo que foi postado aqui mesmo no “Revivendo…”, a canção foi feita como resposta aos tradicionalistas extremados que condenavam Mendes pelo pouco conteúdo de sua consagrada “Pára Pedro”. Enfim, não creio que tenha sido dirigida a alguém em especial.

Falando nisso…

É meu dever indicar um livro que acabo de ler. Trata-se da biografia do cantor e compositor José Mendes – o livro “Pára Pedro”, escrito por Ajadil Costa. Para adquirir este precioso estudo, basta contatar o autor através do seguinte endereço: Av. São João, 786; CEP: 95380-000; Esmeralda/RS. Vale a pena!

“Meu ex-amigo”

Teixeirinha se foi, mas sua obra segue perene e despertando várias inquietações. Uma das últimas diz respeito à música “Meu ex-amigo” (“Última gineteada”, 1974). A quem ela teria sido dirigida? Já apareceram diversas indicações, mas seguem na frente os nomes de Gildo de Freitas, Jorge Camargo e Ivan Trilha. Com tantas especulações, não me arrisco a dar meu voto, mas em breve prometo uma matéria buscando uma solução lógica para este mistério.

Remasterizações

Concordo plenamente com a postagem do amigo Samuel aqui no blog. Ele diz o seguinte: “A Lei de Direitos Autorais, além de estar ultrapassada, propiciando a MORTE de nossa CULTURA, é dúbia, dando margem para várias interpretações; Assim, pegar um LP do Teixeirinha que estava apodrecendo nos porões faz gravadoras e remasterizá-lo e compartilhar com os amigos, SEM FINS LUCRATIVOS, é visto por vários especialistas como lícito. (…) Agora, se tem vários cds espalhados nas lojas, pra quê ficar espalhando na NET?”. Concordo com tudo, MAS, insisto que não poderei permitir que o blog transforme-se num local onde se trocam músicas e filmes, pois (1) sou um pesquisador e tenho minhas responsabilidades e (2) a própria família Teixeirinha, apesar de buscar alternativas para disponibilizar o acervo aos fãs do cantor, prefere que as músicas não sejam trocadas pela Internet.

Endereço de Mary Terezinha

Entendo perfeitamente a sede dos fãs por informações referentes à Mary Terezinha, e busco estar sempre divulgando tudo o que diz respeito a querida cantora e acordeonista. Porém, não tenho condições de atender ao pedido feito pela Cristina (ela pede o endereço de Mary), pois não tenho as informações requisitadas. Espero, em breve, conseguir notícias sobre Mary e, podem ter certeza, postarei aqui no blog!

Ainda sobre José Mendes…

A pergunta foi dirigida ao professor Claudiomar (amigo e cadeira cativa aqui no blog), mas como sou enxerido, responderei ao também amigo Nilton Tavares. José Mendes, o “Gaúcho Alegre” autor de “Pára Pedro” e outras pérolas de nosso cancioneiro, morreu no dia 15 de fevereiro de 1974, no quilômetro 14 da BR-471, perto da localidade de Povo Novo – entre Rio Grande e Pelotas. A informação foi retirada do livro “Pára Pedro”, de Ajadil Costa.

Arnaldo Guerreiro

O Juliano Cardoso pede o e-mail do fã de carteirinha Arnaldo Guerreiro. Vou enviar um recado a ele pedindo a autorização do mesmo para divulgar seu endereço eletrônico aqui no blog. Semana que vem já teremos resposta!

Confirmando…

O Fabiano Maccgnanni perguntou qual é o nome da música em que Mary canta “Amarra o pingo o sesteia… Esta na hora da ceia”. Pelos versos, só pode ser mesmo a canção “Amor de Gaúcho”, gravada em 1965 no LP “O rei do disco”. O disco é no número 11 da Série Gauchíssimo.

“Saudade da minha terra”

A Rozélia Baptista pede a letra da bela canção “Saudade da minha terra” (“Mocinho aventureiro”, Copacabana, 1967). Deixo com vocês mais esta bonita música:

[Falado]
“Chora comigo, sanfona! Desabafa a saudade que eu tenho no coração!”

Deixei a minha terra, meu Rio Grande amado
Pra morar em outro estado do mesmo Brasil
Eu vivo muito bem aqui noutra cidade
Chorando de saudade do meu céu de anil

Eu trouxe, por lembrança, uma cuia de mate
Na sombra do abacate tomo chimarrão
Me lembro da querência, quando despedi
Terra onde nasci vive em meu coração

[Coro]
Me lembro da querência, quando despedi
Terra onde nasci vive em meu coração

Deixei a minha casa de tábua de pinho
Me lembro do carinho de uma prenda linda
As noites do Rio Grande que passei com ela
Só o retrato dela é que me resta ainda

Eu vivo muito bem aonde estou morando
Saudades me judiando, isto é problema meu
Só quem não é humano é que não tem lembrança
Dos tempos de criança e de onde nasceu

[Coro]
Só quem não é humano é que não tem lembrança
Dos tempos de criança e de onde nasceu

[Falado]
“Esta cuia que se apóia na concha da minha mão, tem as iniciais RS – a terra em que me viu nascer!”

Me lembro do Rio Grande quando a noite cai
Meu sonho lá se, vai ver o meu céu azul
Vagueia o pensamento passeando no pago
Beijando com afago o Rio Grande do Sul

E quando me acordo, vem clareando o dia
Eu choro de alegria, porque em sonho eu vi
A china, o meu cavalo, a boiada pastando
Os pássaros cantando, terra onde eu nasci

[Coro]
A china, o meu cavalo, a boiada pastando
Os pássaros cantando, terra onde eu nasci

Teixeirinha On-Line?

O Thiago Sene faz uma interessante pergunta: existe algum lugar onde podemos ouvir Teixeirinha na Internet. Realmente, que eu saiba, não. Há um tempo atrás a Rádio Uol disponibilizava discos do cantor, mas – pelo que soube – não há mais este serviço. Em meados de 2007, a Fundação Teixeirinha chegou a testar uma rádio 24 horas que executaria apenas músicas do artista. Infelizmente, esta tentativa também não teve continuidade.

Catuaba com Amendoim

Ótima colaboração da Rozélia Baptista sobre o grupo de forró “Catuaba com Amendoim”, que gravou um CD especial contendo apenas músicas de Teixeirinha. A Rozélia diz o seguinte: “Canta Teixeirinha é o grande lançamento de 2005 do Catuaba com Amendoim, a banda de forró formada em 1996 pelos vocalistas Socorrinha, Kiko, Cláudia Lombardi e Luciano, que também é sanfoneiro, além de B. Jota no sax, Francisco José e Francisco José II na bateria, Agnaldo no baixo e Lídio no teclado. São 14 faixas fantásticas com o melhor da obra do mestre, entre elas, “Cobra Sucuri”, “Tempo de Mocinho”, “O Menino da Porteira”, “Caminhoneiro Amigo” e “Vejo o Nosso Amor no Fim”, alguns dos destaques.” Em breve farei uma matéria sobre o disco.

Sugestões

O Thiago Sene, além da dúvida sobre as rádios on-line, pede uma matéria sobre as músicas de Teixeirinha em homenagem aos presidentes da República. Já a Fernanda Athayde sugere uma matéria que será postada em maio, sobre as músicas de Teixeirinha que citam a figura materna. Estas e outras sugestões serão atendidas aos poucos e em breve. Obrigado pelas idéias e continuem sugerindo!

Agradecimentos

Sem delongas, agradeço nominalmente a todos os que apareceram (e comentaram) por aqui nesta semana: Rafael Luiz, Nilton Tavares, Samuel, Humberto Sousa, Roberto, Claudiomar de Oliveira, Cristina, Juliano Cardoso, Fabiano Maccgnanni, Jaison, Rozélia Baptista, Thiago Sene, Fernanda Athayde e Gabriel Lopes. A todos que visitaram, mas não comentaram, o meu forte abraço!

E agora, fiquem com o texto “A SAUDADE QUE FICOU”, sobre os carnavais de antigamente. Bom carnaval a todos e até semana que vem com mais novidades!

5 respostas para MUNDO TEIXEIRINHA – Edição 18

  1. Gaúcho.Online disse:

    Bueno Seu Chico.
    Quanto a sua pauta para fevereiro, neste disco “Teixeirinha Teixerinha Show” na música -Dialogo e repente- a uma passagem interessante, o presente de Mary a cabrita.
    Conversa Fiada parece que realmente concordamos que eram para os Tradicionalistas em geral.
    Meu Ex-Amigo ainda ficaram duvidas mas fico com a certeza que era para o Gildo de Freitas.
    E Chico quando um dia conseguires contato com a Mary, pergunte a ela se ela sabe para quem definitivamente era o Facão, o Relho, Adaga…..

    Abraços!!!

  2. Fabiano Maccgnanni disse:

    Obrigado pelas informações!
    Sugiro o disco “Dorme Angelita” para março.
    Abraços.

  3. Cassiano Ferreira disse:

    Chico, quanto tempo?!

    O BLOG tá animado com esa história de: “E essa música era para Gildo ou José Mendes?! E aquela outra para quem era?!”.
    Acho que isto já rende outra matéria, com uma listagem completa de que canção era para quem, sei que é um trabalho árduo, mas será uma matéria muito interessante e útil!
    Valeu!

    “E agora é a vez da Adaga de ‘S’, tchê!”

  4. Fabiano Maccgnanni disse:

    Reparei bem a foto da Mary na matéria “Por Onde Anda Mary Terezinha?”, ela está com um acordeon nas mãos, ela cantou alguma música no DVD?

    LEGENDA DA FOTO: Mary Terezinha no especial “Teixeirinha, o Gaúcho Coração do Rio Grande”

  5. Jéssica Augusto disse:

    Oi!
    Conheço o treço de várias canções de Teixeirinha, mas infelizmente não sei o nome delas, vocês poderiam me informar?
    Adorei o blog!
    Beijos!

    – “A 5 anos deixei minha terra, mas não consigo tirar da lembrança, eu tinha apenas 17 anos…”

    – “…sou o silêncio de uma campa fria, sou uma flor enfeitando uma cruz…”

    – “Lá na fazenda eu criei um pingo branco…”

    – “…Fui ver uma moça…Falei com a moça…Ela é delicada…Falei em casamento…É uma loirinha linda senhorita…Saiu favorita…”

    – “…O amor pra ser amor tem que se amar com respeito…do lado do coração…não tem remédio e sem cura nos leva até pra loucura…”

    – “…Gaúcha flor desta sala…Quero sentir o calor de tuas faces mimosas…Gaúcho, gaúcho lindo puxas que tu canta bem…Se o cavalo der garupa me leva que eu vou também…”

    – “…Chego numa estância e peço uma pousada…Cantando versos…Não acredito que alguma mulher possa…”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: